quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

A História de Mikao Usui


A História de Mikao Usui contada por Hawayo Takata

No final dos anos 1800, um homem chamado Mikao Usui (nascido em 1865) redescobriu essa antiga ciência, que ele denominou Reiki. A história relatada pela Sra. Takata é mais ou menos assim:
O Dr. Usui, ministro e director de uma escola cristã em Kioto, Japão, estava no meio de uma aula, quando um dos alunos perguntou se ele acreditava que Jesus curava. Sua resposta foi afirmativa. O aluno então pediu uma demonstração dessa cura. Como não tinha esse conhecimento, Mikao Usui não pôde atender o pedido.

Mas essa pergunta simples mudou a vida do Dr. Usui. Desencadeou nele a vontade de saber como curar. Munido do conhecimento de que Jesus curava, ele decidiu iniciar sua busca nos EUA, a terra do cristianismo. Inscreveu-se então na Universidade de Chicago. Nos sete anos em que estudou teologia e religiões comparadas, aprendeu sobre Buda e seu dom de curar. Mas não encontrou nenhuma resposta.
O Dr. Mikao Usui voltou ao Japão a fim de continuar sua busca. Visitou todos os templos budistas e perguntou aos monges se sabiam curar. Todos eles deram a mesma resposta: limitavam-se apenas a assuntos espirituais. Em um dos templos, encontrou um velho abade que se lembrava que os monges souberam curar no passado, mas tratava-se agora de uma arte perdida. Ofereceu ao Dr. Usui a oportunidade de permanecer lá e estudar os Sutras japoneses para ver se encontrava a informação que buscava.
Mikao Usui
Após vários anos estudando os Sutras, sem nada encontrar, o Dr. Usui decidiu aprender chinês. O chinês é uma língua mais antiga e muitos dos Sutras japoneses haviam sido traduzidos do chinês. Estudou e estudou por vários anos, mas ainda assim não encontrou respostas.
Havia somente um outro local onde buscar: os Sutras sânscritos. Então, aprendeu sânscrito e começou a estudar esses Sutras. Finalmente veio a resposta. Nos Sutras do Lótus e do Buda Que Cura, encontrou uma fórmula para curar. Ficou tão radiante com essa descoberta que levou a informação imediatamente ao velho abade. Juntos decidiram que para descobrir o significado dessa informação o Dr. Usui precisava meditar.
Na manhã seguinte, o Dr. Usui iniciou a caminhada de 17 km até ao Monte kurama para jejuar e meditar. Ao chegar a seu destino, ele recolheu 21 pedras, sentou-se e colocou-as diante de si. A cada manhã ele jogava fora uma pedra. Na manhã do vigésimo primeiro dia, bem cedo, antes de o dia clarear, o Dr. Usui encontrava-se em meditação profunda quando notou uma luz brilhante. Ficou pensando se essa luz era verdadeira. Abriu os olhos; a luz continuava lá e movia-se rapidamente em sua direcção. Teve medo, mas estava disposto a arriscar a vida pelos segredos da cura. A luz acertou-lhe no terceiro olho e ele perdeu os sentidos. Todas as informações, símbolos, e o modo de como utilizá-los apareceram diante dele, flutuando na forma de milhares de bolas coloridas e brilhantes, e pararam diante dele o tempo suficiente para que ele retivesse a informação na memória. Quando recobrou os sentidos, ele se lembrava de tudo que havia sido revelado.
Os Cinco Milagres
O Dr. Usui notou que se encontrava forte e cheio de energia, apesar de seu prolongado jejum de 21 dias. "Este é o primeiro milagre", pensou. Desejoso de compartilhar as novas informações com o abade, Usui iniciou o longo trajecto de volta ao templo. Enquanto descia a montanha, ele deu uma topada violenta, que lhe levantou a unha do dedão do pé. Ele agarrou o órgão ferido e dentro de um curto espaço de tempo, notou que estava totalmente curado. "Este é o segundo milagre", pensou.
Prosseguiu seu caminho e logo chegou a uma casa que oferecia refeições a viajantes. Percebendo que estava com fome, decidiu parar e comer. Um homem veio anotar seu pedido. O Dr. Usui pediu uma boa refeição. Quando a refeição se encontrava pronta, a filha do homem a trouxe. Era uma moça jovem e bonita, com um lenço amarrado à cabeça, semelhante às orelhas de um coelho. O Dr. Usui indagou-lhe o motivo do lenço amarrado à cabeça. Ela respondeu que sentia uma dor de dente insuportável e não podia viajar à cidade, que era longe, para medicar-se. Ele acenou para que ela se aproximasse e colocou as mãos no rosto da moça. Após alguns minutos, ela disse: "Monge caridoso, você fez um milagre. Meu dente não está mais doendo. Muito obrigada. Este é o terceiro milagre", pensou.
Depois que o Dr. Usui terminou sua refeição e encontrava-se a caminho do templo, notou o quanto estava se sentindo bem. Não sentia os efeitos ruins de uma refeição pesada após um jejum prolongado. "Este é o quarto milagre", pensou.
Ao chegar no templo, foi saudado por um monge jovem. O rapaz disse ao Dr. Usui que alegrava-se em ver que havia chegado bem e que o velho abade encontrava-se acamado, sentindo muita dor. O Dr. Usui dirigiu-se imediatamente à cela do abade e sentou-se à beira da cama. Deixou repousar as mãos no corpo do abade enquanto lhe contava a maravilhosa experiência que tinha vivido e o que tinha aprendido. Em um curto espaço de tempo o abade sentiu-se aliviado e, surpreso disse: "Você fez um milagre; minha dor foi toda embora". "Este é o quinto milagre", proclamou o Dr. Usui.
Ambos ficaram eufóricos com a descoberta e queriam usá-la para a causa mais necessitada que houvesse. Então juntos decidiram rezar e meditar até encontrar a resposta. O Dr. Usui voltou à sua cela e passou a noite toda meditando. Na manhã seguinte, de volta à cela do abade, ambos concordaram que os que mais necessitavam do Reiki eram os habitantes da vila dos mendigos.
O Dr. Usui, portando roupas velhas e empurrando uma carroça de legumes, saiu com destino à vila dos mendigos. Logo três mendigos aproximaram-se dele e perguntaram o que ele fazia lá. Ele pediu para ver o Rei dos Mendigos, já que tinha um presente para ele. Eles acataram, mas sempre hesitando muito, pois não queriam enfurecer o homem.
Quando ele se aproximou, o Rei dos Mendigos inquiriu sobre o presente e astutamente perguntou o que ele desejava. O Dr. Usui disse que vinha lhe oferecer a cura e que desejava estendê-la a todos na vila dos mendigos. Só pedia comida em troca da sua abnegação. O Rei concordou, mas primeiro levou as roupas, a carroça e a bolsa de guardar dinheiro do Dr. Usui. Deram-lhe roupas rasgadas e malcheirosas para se vestir e restos de comida.
Todos os dias, da manhã até tarde da noite, o Dr. Usui trabalhava na vila dos mendigos, curando as pessoas e então as enviava ao templo para obter um novo nome e um emprego.
Após sete anos, seu trabalho estava quase encerrado. Uma noite o Dr. Mikao Usui estava caminhando quando começou a notar alguns rostos que lhe pareciam familiares. Ele aproximou-se de um rapaz e perguntou se ele não havia sido curado há muitos anos atrás. O rapaz respondeu que sim. O Dr. Usui perguntou se ele havia se dirigido ao templo para obter um novo nome e um emprego. Novamente o jovem respondeu que sim. "Então, porque voltou à vila dos mendigos? O rapaz contou-lhe que havia trabalhado horas a fio mas que ganhara pouco dinheiro, de modo que sua família continuava com fome, e que por isso, chegara à conclusão de que era mais fácil ganhar a vida como mendigo. O Dr. Usui ficou tão transtornado com o fato que se atirou ao chão e chorou. Jurou nunca mais jogar fora esse dom; dar o Reiki torna as pessoas mendigos? Então ele desenvolveu os Cinco Princípios do Reiki por onde basear a vida, que, se aplicados com o Reiki, curariam o corpo, a mente e o espírito.
Na manhã seguinte, o Dr. Usui pegou uma grande tocha, acendeu-a e parou numa esquina bastante agitada da cidade. As pessoas passavam e riam. Algumas paravam para perguntar o que ele estava fazendo com uma tocha acesa em plena luz do dia. Ele dizia que procurava pessoas saudáveis, felizes e de coração esclarecido que estivessem dispostas e ajudar quem estivesse padecendo de dores físicas ou espirituais. Ele mostraria como iluminar seus corações em uma palestra que iria ministrar. Muitos responderam ao apelo, logo ele teria um grande número de seguidores.
Enquanto viajava pelo país ensinando Reiki, o Dr. Usui convidava indivíduos particularmente dedicados para serem seus discípulos. Um desses indivíduos foi o Dr. Chujiro Hayashi nascido em 1878), um oficial reformado da marinha japonesa. Em 1925 o Dr. Hayashi tornou-se uma das 18 pessoas iniciadas como mestre pelo Dr. Usui.

Fonte: Internet

Sem comentários: